Bagels conquistam Lisboa

Raffi’s Bagels é o mais recente espaço, na Rua Saraiva de Carvalho, n.º 120, em Campo de Ourique, onde os apreciadores de bagels podem comer ou levar para casa esta especialidade de pão, de origem austríaca, muito comum na cultura judaica, existente especialmente em Londres, Nova York ou Montreal.

Trata-se de uma receita que “faz parte da tradição familiar do meu marido”, explicou Pascal Schneider, mulher de Raphael Schneider, donos do Raffi’s Bagels.

O processo de fabrico dos bagels é totalmente diferente do do pão tradicional já que antes de ir ao forno a massa é fervida em água quente, o que lhe dá um sabor salgado mas também doce, e facilita a sua duração.

Para acompanhar os bagels foram criados diferentes menus, com ingredientes frescos, baseados no livro de receitas da avó de Raphael, escrito em alemão, que pode ser visto na parede do Raffi’s. Mas os clientes também podem escolher os ingredientes que são colocados no seu bagel,

bagels 2

“Temos o bagel simples com sementes de papoila e sésamo, ou multicereais, bagels de canela e passas e de cebola, outros com anchovas e azeitonas, com tomilho, tomate seco e orégãos, frisou.

Para acompanhar os bagels, Pascal aconselha a salada americana de couve branca, marinada em vinagre, com cenoura, maionese e mostarda, ou uma salada verde, tudo isto servido com uma limonada ou um chá frio.

“Os bagels podem ser comidos durante todo o dia. Temos clientes que vêm de manhã para os comer com queijo creme e salmão, algo que é muito tradicional, e durante a tarde comem com doce ou creme de chocolate”, refere Pascal.

Quando abriram o  Raffi’s Bagels a maior parte dos clientes não conhecia os bagels o que levou a que os seus proprietários tivessem que explicar o processo de fabrico dos mesmos.

Actualmente a clientela do Raffi’s é essencialmente americana, canadiana, inglesa e francesa que se desloca a Campo de Ourique para comer os bagels ou para os levar para casa. 

A juntar ao conceito dos bagels, Pascal resolveu confeccionar os brownie, o cheesecake e as cookies, sobremesas clássicas dos Estados Unidos que também têm tido boa aceitação juntos dos clientes.

“Temos clientes que não comem bagels mas que vêm especialmente comer este tipo de sobremesas que não se encontram noutros sítios”, diz Pascal, satisfeita por esta aposta em Portugal.

Texto Ana Luísa Delgado

bagels 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *