Livro desvenda maçonaria no feminino

“Silêncio e Virtude: Uma História da Maçonaria Feminina em Portugal” é o título do livro da autoria do historiador António Ventura que foi lançado dia 14 de março no salão nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa.

A obra relata a história entre as mulheres e a Maçonaria em Portugal desde o século XVIII, com referência especial à dificuldade de constituição das primeiras lojas femininas no princípio do século XIX e no século XX por altura da implantação da República.

“Este livro tem como objetivo trazer informações novas sobre as polémicas dentro do Grande Oriente Lusitano (GOL) relativamente à presença das mulheres na Maçonaria em igualdade absoluta com os homens, dos adversários da sua iniciação maçónica e dos que as admitiam”, diz António Ventura à SW.

Ana de Castro Osório e Carolina Beatriz Ângelo

“No fundo, as clivagens tinham e têm a sua origem numa questão de perspetiva: manter uma posição de fidelidade literal em relação aos textos fundadores da Maçonaria, ou considerá-los no contexto em que surgiram, não podendo acompanhar, como é óbvio, o progresso civilizacional, cultural e a mudança de mentalidades”, acrescenta.

O autor faz referência especial à presença das mulheres nos ágapes [refeições de confraternização] no século XVIII e à iniciação da condessa de Juromenha em 1816.

“Aproveito também esta obra para revelar numerosos documentos inéditos e biográficos de dezenas de mulheres – e também de homens que as apoiaram – cujo nome não ficou na História mas que tiveram um papel pioneiro e que permaneceram até hoje no esquecimento, eclipsadas por três ou quatro figuras de primeira grandeza. Estamos a falar de mulheres com origens e vivências muito diversas, de todos os estratos social e culturais”, sublinha António Ventura.

Os arquivos do GOL, da Torre do Tombo (em especial os jornais do tempo da I República), da Biblioteca Nacional e alguns arquivos pessoais foram fundamentais na pesquisa do historiador, cuja obra termina com a referência à formação das primeiras lojas femininas em Portugal, nos anos 80 do século XX, pela Grande Loja Feminina de França, com o apoio logístico do GOL.

Antónia Pusich

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *