“Cartas da Guerra” em Berlim

“Cartas da Guerra”, a terceira longa-metragem de Ivo M. Ferreira, está seleccionada para a Competição Oficial da 66ª Edição do Festival de Cinema de Berlim, que decorrerá entre 11 e 21 de feveiro. Será a estreia mundial de um dos filmes portugueses mais aguardados do ano. Mas por Berlim – que em 2012 premiou “Rafa”, de João Salaviza, com o Urso de Ouro para as curta-metragens – irão passar mais sete filmes de produção portuguesa.

António vê a sua vida brutalmente interrompida quando é incorporado no exército português, para servir como médico numa das piores zonas da guerra colonial – o Leste de Angola. Longe de tudo que ama, escreve cartas à mulher à medida que se afunda num cenário de crescente violência. António é o alferes Lobo Antunes.

Enquanto percorre diversos aquartelamentos, António apaixona-se por África e amadurece politicamente. A seu lado, uma geração desespera pelo regresso. Na incerteza dos acontecimentos de guerra, apenas as cartas o podem fazer sobreviver. Cartas que foram reunidas e publicadas sob o título “D’este Viver Aqui Neste Papel Descripto”. E que Ivo M. Ferreira adapta agora ao cinema.

Em competição na secção de curtas estarão “Balada de um Batráquio”, de Leonor Teles, e “Freud und Friends”, de Gabriel Abrantes. Pelo Fórum Expanded, onde o cinema se cruza com as artes pásticas, irão passar “Transmissions from the Liberated Zones”, de Filipa César, e “L’Oiseau de la nuit” , uma encomenda do IndieLisboa a Marie Losier.

A presença portuguesa em Berlim inclui mais três filmes integrados na secção não competitiva: “Eldorado XXI”, de Salomé Lamas, “Posto Avançado do Progresso”, de Hugo Vieira da Silva, e Rio “Corgo”, de Maya Kosa e Sérgio da Costa, o vencedor da edição de 2015 do DocLisboa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *