Salão do cavalo de Beja aposta na internacionalização do cavalo Lusitano

O cavalo Lusitano vai estar, uma vez mais, em destaque na Rural Beja, a decorrer de 6 a 9 de outubro. “O principal objetivo é tornar o salão do cavalo mais internacional, com uma maior dinâmica que favoreça os criadores de cavalos Lusitanos”, diz fonte da autarquia.

Além de várias competições, algumas internacionais, e da existência de um momento de “pista aberta” para que todos possam ter uma experiência de montar a cavalo, o destaque do certame será uma Gala Ibérica dirigida pelo mestre Luís Valença Rodrigues, referência mundial da arte equestre, com vários cavalos que representam Portugal e Espanha na prestigiada “Apassionata Internacional”.

“A Gala ibérica é uma atuação conjunta de um grupo de cavaleiros do Centro Equestre da Lezíria Grande (CELG) e de uma escola de Madrid, sob a direção de Francisco Canales, que teve grande parte da sua formação equestre em Portugal; uns representando o classicismo e a cultura equestre portuguesa e outros a afición e salero das tradições de Espanha”, revela mestre Luís Valença Rodrigues em entrevista exclusiva à SW Portugal.

Segundo refere, a Rural Beja “é de grande importância a nível popular e cultural, com muita animação trazendo multidões para a zona sul do país” sendo que a iniciativa terá um “programa diversificado e animado com grande atrativo para os visitantes em geral e, ao mesmo tempo, abre portas para quem tem as suas montadas e lhes permite de evoluir num certame como este que já tem fama além-fronteiras”.

“A internacionalização do Salão do Cavalo de Beja é de grande importância principalmente para os criadores do cavalo Lusitano pois o mercado futuro será além-fronteiras”, acrescenta Luís Valença Rodrigues, já com mais de 50 anos de carreira dedicada à arte equestre, que continua a praticar “com dedicação, paixão e o maior respeito por este nobre animal”.

A “Apassionata Internacional” é uma organização alemã a funcionar desde 2002 com exibições equestres por cerca de 32 cidades da Europa, entre outubro a junho de cada ano, a que assistem cerca de 500 mil pessoas. Em 2010 foi galardoada como o melhor espetáculo da Europa e nos últimos três anos tem ganho o Grammy de melhor espetáculo e com maior audiência na Alemanha.

“No CELG fomos os pioneiros e mantemo-nos integrados nesta organização com um grupo de 9 cavalos e respetivos cavaleiros”, explica o mestre Luís Valença Rodrigues, considerando tratar-se de um espetáculo demonstrativo do que é a arte equestre: “sensação e beleza, um mundo de maravilhas onde a fantasia e a beleza estética dos cavalos são vividas”.

“Trata-se de uma enorme promoção para o cavalo Lusitano e uma grande honra para a cultura equestre de Portugal”, conclui.

Texto | Ana Luísa Delgado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *