A herdeira, o motorista e o marido dela. Ordem Moral chega à RTP
2021-03-27
Redes de aquacultura provocam morte de milhares de aves
2021-03-27
Mostrar tudo

“A bela cultura do teatro viverá enquanto por cá continuarmos”

“A bela cultura do teatro viverá enquanto por cá continuarmos”, diz Helen Mirren (Reino Unido), atriz de teatro, cinema e televisão convidada pelo International Theatre Institute para escrever a mensagem com que este ano se assinala o Dia Mundial do Teatro.

“Estes têm sido tempos muito difíceis para as atuações ao vivo e muitos artistas, técnicos e artesãos têm lutado por esta profissão já de si carregada de insegurança. Possivelmente essa insegurança de sempre tornou-os mais capazes de sobreviver a esta pandemia com coragem e determinação”, escreve a atriz britânica, lembrando que a imaginação das pessoas do teatro já se traduziu “nestas novas circunstâncias, em muitas formas inventivas, divertidas e comoventes de comunicar, graças, claro, em grande parte, à Internet”.

“Os seres humanos têm contado histórias uns aos outros desde que habitam o planeta. A bela cultura do teatro viverá enquanto por cá continuarmos.. O impulso criativo de dramaturgos, cenógrafos, bailarinos, cantores, atores, músicos e encenadores jamais será sufocada e num futuro muito próximo irá florescer de novo, com uma nova energia e um novo entendimento sobre o mundo que todos nós partilhamos”, acrescenta.

Traduzida para várias idiomas, a mensagem de Helen Mirren circula hoje por todo o mundo. Em Portugal, a Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlentejo) promoveu a leitura a três vozes desse texto, com a colaboração do mestrado e licenciatura em Teatro/Artes Cénicas, da Escola de Artes da Universidade de Évora.

Gheysla Nascimento, estudante de mestrado, Fabrisio Canifa  e Constança França, estudantes de licenciatura, chegam-nos de diferentes latitudes onde a língua portuguesa se torna palavra. Foi o desejo de teatro que os conduziu ao Alentejo. Foi o amor ao teatro que aqui os juntou – da forma possível em tempos tão duros – reafirmando que mal podem esperar … e não vão (des)esperar! 

A mensagem deste ano foi traduzida para língua portuguesa por Ricardo Simões, encenador e diretor artístico da companhia de Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *