Exposição “René Lalique e a Idade do Vidro” reabre dia 6 de abril
2021-03-26
“A bela cultura do teatro viverá enquanto por cá continuarmos”
2021-03-27
Mostrar tudo

A herdeira, o motorista e o marido dela. Ordem Moral chega à RTP

“Ordem Moral”, a história verídica da herdeira e proprietária do Diário de Notícias, protagonizada por Maria de Medeiros, chega à RTP1 em formato minissérie dia 3 de abril, numa produção da Leopardo Filmes com realização de Mário Barroso e argumento de Carlos Saboga.

A história é conhecida: em 1918, Maria Adelaide Coelho da Cunha, herdeira e proprietária do Diário de Notícias, abandona o luxo social, cultural e familiar em que vive para fugir com um ‘insignificante’ motorista, 26 anos mais novo.

As consequências desta sua decisão serão obviamente dolorosas e moralmente devastadoras. Em resultado deste seu ato, Maria Adelaide Coelho da Cunha acaba vítima de internamentos sistemáticos levados a cabo pelo marido, de ego ferido, que alega que a mulher está louca.

O realizador Mário Barroso conta ter tido conhecimento desta história ainda na sua infância: “Tinha um tio, em segundo grau, que vivia na nossa rua e a quem chamávamos o tio coronel, que foi subdirector do Diário de Notícias nos anos 50. Eu era miúdo e achava-lhe imensa graça, porque nos contava muitas histórias, sempre com bastante humor à mistura (ele também escrevia teatro de revista). Teria eu uns dez, onze anos, e uma das histórias que esse meu tio ― Pereira Coelho, era o nome dele ― me contou era sobre a antiga proprietária do jornal, que tinha fugido com o ‘chauffeur’. Uma mulher rica que, com quase 50 anos, decide fugir com o motorista muito mais novo era uma coisa insólita, e lembro-me de a ter achado muito corajosa”.

Passados mais de 50 anos, Mário Barroso lembrou-se da história em resultado de um “desejo imenso” de filmar com Maria de Medeiros. “Ao começar a trabalhar nela, ao investigar melhor a história desta mulher que me fora contada pelo meu tio (eu queria sobretudo contá-la de uma forma que não me condicionasse a imaginação), cada vez mais me convenci de que teria de ser a Maria a fazer este papel. Era a única atriz portuguesa que se adaptava à minha visão da Maria Adelaide, que correspondia exatamente àquilo que eu pensava, depois de tudo o que investigara, de tudo o que lera. Para além do seu enorme talento, ela possui uma beleza estranha, exótica, diferente, que não tem nada a ver com a beleza tradicional. É algo que começa na expressão do rosto”.

Mais do que a história de amor impossível, em “Ordem Mora“l o realizador confessa-se “fascinado” com aquela mulher do início do século XX, “cheia de garra, que lutou e ganhou, que teve a coragem de abandonar uma família, o conforto material, e de partir”.

O filme estreou em sala o ano passado. Chega agora aos écrans da RTP em formato de minissérie de três episódios, com uma reconstituição histórica irrepreensível que reúne no seu elenco Marcello Urgeghe, João Pedro Mamede, João Arrais, Albano Jerónimo, Júlia Palha, Ana Padrão, Vera Moura, Dinarte Branco, Ana Bustorff, Dinis Gomes, Jorge Mota, Miguel Borges, Isabel Ruth, Rui Morrison e Teresa Madruga.

ORDEM MORAL

RTP 1, dia 3 Abril, 22:30 horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *