(música) Zé Peps. “Do Arco da Velha” ao ritmo de uma ‘cigar box guitar’.
2021-05-30
Do fabrico de marionetas ao espetáculo. Tosco é a nova aposta da Setespinhas
2021-05-31
Mostrar tudo

A “solitária” relação entre homem e máquina pela Alma d’Arame

Texto Margarida Maneta

No âmbito da 13.ª edição do Encontro Internacional de Marionetas, em Montemor-o-Novo, a Associação Cultural Alma d’Arame volta a apresentar esta segunda-feira, dia 31, o espetáculo “Solitária”.

O Encontro, que regressa após um ano suspenso devido à pandemia provocada pela covid-19, prevê “a proximidade entre os artistas e o público, a discussão de ideias e projetos e o confronto do público com novas formas de espetáculos baseados na multidisciplinariedade”, diz diz à SW Portugal Amândio Anastácio, diretor artístico.

O nome do espetáculo, “Solitária”, resulta do próprio processo criativo que, sustentado pela tecnologia, “misturou” a máquina e o Homem. “Por um lado: o espaço da narrativa, do teatro, da marioneta, do ser e do objeto; e, por outro: o espaço da programação, da cinética, da multimédia. Partindo do espaço solitário e criativo de cada um, vimos nascer o espaço comum de criação”. 

Este ano, a peça já esteve no Seixal e em Pombal. Depois da passagem por Montemor-o-Novo, prepara-se para seguir para Alcanena e Covilhã e alargar, assim, os locais que conhecem esta “nova abordagem” mais tecnológica, que apesar de bastante “presente” na vida quotidiana, ainda se revela ausente no que diz respeito ao mundo das marionetas. 

O festival termina no próximo dia 6 de junho. A programação conta também com a apresentação de espetáculos internacionais, provenientes de França, Espanha, Alemanha e Polónia, estando alguns deles esgotados e outros “estendidos” ao Teatro Ibérico, em Lisboa. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *