“Mão-de-obra”. Culturgest exibe primeira exposição antológica de António Bolota
2021-05-01
Primeiro branco de tintas português. O Invisível que não passa despercebido
2021-05-02
Mostrar tudo

OPINIÃO “A pandemia teve efeitos devastadores no mundo do trabalho”

Texto Guy Ryder, diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho

Este ano celebramos de novo o 1.º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador, sob a sombra da pandemia da covid-19.  

A pandemia teve efeitos devastadores no mundo do trabalho, destruindo empregos, empresas e meios de subsistência, atirando milhões de pessoas para a pobreza e provocando um retrocesso no desenvolvimento mundial. Como a maioria das crises, atingiu mais duramente as pessoas mais fracas e as mais vulneráveis, tornando um mundo desigual ainda mais desigual.

A pandemia e as suas consequências são uma  contundente chamada de atenção para a interdependência global. Esta realidade aplica-se tanto à saúde como à nossa vida profissional. Ninguém está a salvo até que todos estejam a salvo. Ninguém pode ficar indiferente à situação das outras pessoas face à fragilidade do mundo interdependente que construímos.  A solidariedade é a chave para a nossa sobrevivência e prosperidade comum, dentro e fora das fronteiras de cada país. 

Ao enfrentarmos a crise atual e ao olharmos para o futuro, uma coisa é evidente: precisamos de uma recuperação centrada no ser humano, com justiça e equidade, uma recuperação sustentável e que não deixe ninguém para trás. 

Reconstruir melhor significa fazer escolhas políticas deliberadas e coerentes: 

– criar empregos e garantir condições de trabalho dignas para cada um e cada uma; 

– alargar a proteção social;  

– proteger os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras;  

– recorrer ao diálogo social.  

E, neste 1.º de Maio, recordamos as lutas históricas que nos permitiram obter progressos duramente conquistados.  

Hoje, de novo, são realizados sacrifícios extraordinários pelas  pessoas no mundo do trabalho para vencer a covid-19. Queremos saudá-las.  Queremos também expressar o nosso lamento por aquelas  e aqueles que perderam as suas vidas.  E reiteramos a nossa convicção de que nunca devemos sacrificar os nossos valores de justiça social, os nossos direitos fundamentais no trabalho, nem a nossa determinação em construir um futuro melhor. É esse o significado e a motivação daqueles e daquelas que celebram o 1.º de Maio em todo o mundo há tantos anos. 

Em muitos aspetos, a pandemia mergulhou as nossas vidas na escuridão e tornou essa tarefa mais difícil.  O curso da crise deve traduzir-se num espaço para repensar, fazer novas escolhas e assumir novos compromissos para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade.

Neste Dia Internacional do Trabalhador, a OIT apela aos trabalhadores, empregadores, governos e organizações internacionais, bem como a todos e todas, que estão  comprometidos/as em reconstruir melhor, a unirem as suas forças, para um mundo do trabalho com justiça e dignidade para todos e todas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *