Marionetas em Évora. A BIME está “de pernas para o ar”
2021-05-31
Homenagem à natureza. A arte de Paulo Narciso
2021-06-02
Mostrar tudo

“Que farei quando tudo arde”. Poesia de Sá de Miranda por Paula Vidigal

Texto Luís Godinho

Pedi a Paula Vidigal que interpretasse “Que Farei Quando Tudo Arde”, soneto de Sá de Miranda que António Lobo Antunes escolheu para título de um romance. O vídeo foi gravado num local paradisíaco, situado nas proximidades de Évora. Sei bem que poucos conhecerão o local. E muito menos os versos de Sá de Miranda, sem o qual não haveria a poética de Luís de Camões. Neste soneto está a inspiração para esta nossa plataforma, “Quando tudo arte”. Não tenho palavras para agradecer a amizade e a entrega de Paula Vidigal a este nosso projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *