Como se a tristeza tivesse pressa. “AuRora”, o novo álbum de Gisela João
2021-04-09
“Antes de falar em desenvolvimento, temos de falar de criação cultural”
2021-04-10
Mostrar tudo

Stevan Lekitsch: “A cultura é essencial para potenciar uma região”

Texto Margarida Maneta

“A cultura é essencial para potencializar uma região” porque as pessoas (locais ou visitantes) “querem ver, interagir e participar”, disse Stevan Lekitsch, proprietário da Casa-Museu Quinta da Esperança, no arranque na conferência “Artes de Rua no Desenvolvimento dos Territórios”, promovida pela Setespinhas – Associação Cultural para as Artes e o Desenvolvimento Social e apoiada pelo Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes.

Escritor, cineasta e promotor cultural, Stevan Lekitsch referiu que no primeiro ano de funcionamento, a Casa-Museu Quinta da Esperança (inaugurada em janeiro de 2019) recebeu cerca de quatro mil visitantes. “É quase o número da população de Cuba em turistas”. Este número de visitantes, acrescentou, explica-se porque “a cultura e as práticas artísticas estão sempre de mãos dadas com o turismo”. Pelo espaço passaram diversos artistas regionais, como os Ceifeiros de Cuba, e nacionais, como a cantora Celina da Piedade ou a escritora Isabel Stilwell.  

Mas não é só o turismo que a cultura potencia. Quando questionado sobre a importância do trabalho em rede, Steven Lekitsch salientou que a cultura também potencializa outros setores como “a restauração, a hotelaria e até os territórios envolventes”. Por isso, na ótica do proprietário da Casa-Museu Quinta da Esperança, “toda a forma de cultura é coletiva e é isso que potencializa os territórios e comunidades”. Não lhe restam dúvidas: “Ninguém faz cultura sozinho”.

Localizada em Cuba, a Casa-Museu Quinta da Esperança tem mais de duas dezenas de salas expositivas. Mas tal só é possível porque, a acrescentar ao espólio existente no edifício, a comunidade “doou objetos, fotografias” e fez “depoimentos”. E estes contributos foram, nas palavras de Stevan Lekitsch, essenciais para que a população se sentisse parte integrante. Essa colaboração constituiu um dos ingredientes-chave para o sucesso cultural do espaço e, consequentemente, do território.

A conferência é composta por quatro sessões, a primeira das quais foi dedicada ao tema “A cultura e as práticas artísticas contemporâneas como chave para potenciar territórios e comunidades do interior”. Além de Stevan Lekitsch foram oradores João Português, presidente da Câmara de Cuba, e Guilherme d’Oliveira Martins, administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian e presidente do Conselho das Artes do Centro Nacional de Cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *